Uma falha em sua arquitetura de missão crítica está para acontecer: você está preparado?


Uma arquitetura de missão crítica basicamente consiste em uma infraestrutura de TI (hardware e software) que deve funcionar continuamente para que um negócio ou segmento de um negócio seja bem-sucedido.

Se uma estrutura tecnológica considerada crítica passar por um breve tempo de inatividade, as consequências negativas provavelmente serão financeiras. Além da perda de produtividade, a falha do funcionamento de um aplicativo de missão crítica pode prejudicar a reputação da empresa.

Por isso, não espere até que ocorra um desastre para considerar a resiliência e a recuperação de sua infraestrutura de TI. Busque as melhores práticas para criar um plano de recuperação de desastres que atenda às suas necessidades de negócios, incluindo a possibilidade de falhas nas piores situações possíveis.

A importância de garantir a resiliência de uma arquitetura de missão crítica

Ao implantar uma arquitetura de missão crítica, os administradores de TI devem determinar exatamente qual suporte é necessário para garantir a capacidade de um ativo de tecnologia funcionar em circunstâncias fora das ideais.

Por exemplo, se um servidor manipular dados transacionais, ele deverá ter várias fontes de alimentação redundantes para manter o servidor em execução no caso de uma queda de energia.

Dependendo do orçamento da empresa e da infraestrutura física do datacenter, os aplicativos de missão crítica exigem redundância de D + 1 no mínimo.

Garantir que o suporte técnico esteja disponível 24/7 também pode ajudar os administradores a garantir que os aplicativos essenciais estejam sempre disponíveis, assim como os backups frequentes e automatizados para proteger os aplicativos contra corrupção ou exclusão.

Características da missão crítica

Como vimos a pouco, um ativo de tecnologia é considerado de missão crítica quando é essencial para a operação. Isso deixa claro que os aplicativos e componentes de hardware que fazem parte dessa arquitetura de TI não devem sofrer nenhum tempo de inatividade quando é provável que os usuários finais os utilizem

Existem muitos serviços de TI de missão crítica possíveis, e a importância de vários sistemas é diferente para o ecossistema de tecnologia de cada empresas.

Por isso, os arquitetos, administradores, desenvolvedores, testadores e equipes de operações e suporte de TI que dão suporte à missão crítica devem valorizar a estabilidade e a disponibilidade.

Os esforços para garantir operações contínuas incluem cópias redundantes de um aplicativo, sistemas de TI e infraestrutura de data center nos quais ele é executado, backups a quente (com operações acontecendo em tempo real), ambientes de homologação e produção duplicados para testes completos e outras medidas de proteção.

Configurações de TI para missão crítica

Ao implantar a TI de missão crítica, as empresas devem avaliar seus requisitos técnicos de resiliência e disponibilidade de ativos, bem como seus requisitos de retorno sobre investimento e custo.

Por exemplo, se um servidor suportar operações diárias, ele deverá ter várias fontes de alimentação, ativos de tecnologia e backups redundantes. Se um data center perder um dos servidores de aplicação, uma cópia idêntica desse equipamento poderá manter todos os sistemas essenciais online, com o mínimo de interrupção.

Dependendo do orçamento da empresa e da infraestrutura física do datacenter, isso pode significar redundância D + 1 ou até mais alta. O +1 em D + 1 representa um componente de backup adicional, que pode aumentar dependendo de quantos componentes de backup foram adicionados ao sistema – D + 2, D + 3 e assim por diante.

  • Os backups frequentes e automatizados garantem que a configuração e as atualizações de qualquer software de missão crítica sejam preservadas no caso de uma degradação ou interrupção do serviço, e protejam os aplicativos contra corrupção ou exclusão. As organizações de TI podem organizar os planos de recuperação de desastre para priorizar a restauração de aplicativos de missão crítica.
  • O suporte técnico – 24/7 ou 9 a 5 – é uma maneira de garantir a disponibilidade de aplicativos e computação de missão crítica. O hardware ou software de missão crítica deve ter suporte técnico 24/7. O suporte das 9 às 5 envolve a cobertura do suporte técnico para serviços durante o horário comercial.

Em alguns casos, uma organização pode economizar dinheiro confiando nos serviços de proteção da estrutura de terceiros, a exemplo de um fornecedor de nuvem, em vez de investir em ferramentas e equipe especializadas.

Da mesma forma, algumas organizações preferem controlar toda a infraestrutura de TI para aplicativos essenciais, a fim de garantir a disponibilidade de recursos para obter o desempenho ideal, enquanto outras recorrem a provedores de nuvem e especificam a capacidade e a escalabilidade necessárias, deixando o fornecedor gerenciar a infraestrutura e os recursos.

Qual é a melhor maneira de evitar o tempo de inatividade para aplicativos e serviços de missão crítica? Não existe fórmula mágica para essa resposta. A maneira mais eficiente de impedir a inatividade ainda é através do desenvolvimento estratégico de um plano que identifique possíveis problemas técnicos e operacionais e identifique os pontos de prontidão para responder aos incidentes críticos ao negócio.

Para saber mais como garantir sua arquitetura de missão crítica, entre em contato agora mesmo com um especialista da MPE soluções. Estamos prontos para apresentar as melhores soluções para o seu negócio.

Sobre a MPE Soluções

A MPE Soluções é uma empresa focada na entrega de soluções completas em produtos e serviços, com expertise em criar projetos personalizados, especialmente desenhados para atender as necessidades do mercado, com suporte, através de equipe altamente capacitada e equipamentos da marca HPE.

A MPE foi criada em 1981 e desde então, vem crescendo e acompanhando as necessidades dos seus clientes.

Com as suas informações, a MPE poderá pensar em soluções
perfeitas para sua empresa.

Alguns de nossos clientes