As 10 melhores práticas para a adoção da nuvem


A adoção da nuvem é uma das mudanças tecnológicas mais significativas que as empresas vem realizando e que enfrentarão na próxima década.

Apesar da mudança para a nuvem ser algo positivo, é essencial que uma organização proceda com cautela. Independentemente se a empresa está olhando apenas uma ou várias cargas de trabalho de um portfólio inteiro, a transformação de TI local baseada em nuvem exige mais do que apenas entender a tecnologia.

A adoção bem sucedida da nuvem precisa de foco e um plano mais detalhado, já que um único passo em falso pode tornar os processos lentos e caros.

Seguir uma abordagem prescritiva, com implementação de sistemas em nuvem, reduz os riscos e torna sua transformação mais ágil.

Listamos os principais tópicos para ajudar centenas de empresas a planejar, projetar e construir seus programas no processo de migração para nuvem.

 

1- Comece o seu programa na nuvem com uma vacinação

Sabemos que nem todas as pessoas da sua organização suportarão o trabalho com programas em nuvem. Por isso, entendemos que reunir no mesmo local as principais partes interessadas, pode imunizar precocemente sua organização contra o vírus e eliminar os bloqueadores internos desse processo.

As principais funções para participar dessa transformação são:

  • Patrocinadores executivos;
  • Proprietários do aplicativo;
  • Segurança – CISO, pessoas SecOps;
  • GRC – especialistas em governança, riscos e conformidade;
  • Finanças – especialistas em compras, riscos e governança;
  • Arquitetos líderes;
  • Banco de dados – DBAs líderes, arquitetos de dados;
  • Operações centrais de TI.

Conseguir com que todos se comprometam com total, ou parte dessa conversa, é um grande desafio, mas você precisará garantir que todas essas partes interessadas estejam envolvidas, para garantir um programa de nuvem bem sucedido.

O alinhamento é o primeiro passo em qualquer iniciativa importante de TI, especialmente quando abordamos o tema de adoção da nuvem.

 

2- Tenha um compromisso em nuvem

Assumir o compromisso de colocar cargas de trabalho na nuvem é um objetivo que muitas vezes é negligenciado.

Sem uma estratégia em nuvem, você simplesmente não poderá dedicar os recursos apropriados para estabelecer completamente a mudança organizacional necessária para fazer uma diferença mensurável em toda sua estrutura.

A adoção da nuvem afetará quase todos os aspectos da sua organização, portanto, esta é uma direção estratégica e uma iniciativa de liderança em oposição à uma decisão de tecnologia.

A nuvem também exige a atribuição de equipes dedicadas e a decisão de financiar adequadamente seu programa ou projeto. Isso significa que os membros da equipe só trabalharão em atividades relacionadas a migração e todo o seu foco estará em levar a empresa à nuvem com segurança.

Uma equipe de nuvem cujos membros ainda têm seus trabalhos diários, é uma indicação segura de que:

  • Não há um compromisso total com a nuvem;
  • O esforço requerido é mal entendido;
  • Há falta de patrocínio executivo.

Quando uma organização compreende verdadeiramente os benefícios da nuvem e sua estratégia, o líder do projeto pode criar uma proposta tão convincente que nenhum CEO poderá ignorá-la.

 

3- Crie um escritório de negócios na nuvem

A adoção da nuvem terá um enorme impacto na sua empresa, evoluindo processos que não foram tocados com maior seriedade há décadas. Pela primeira vez, os desenvolvedores podem criar e modificar seus requisitos de infraestrutura usando software.

O desenvolvimento de software tem sofrido estabilidade no gerenciamento de mudanças, onde a natureza crítica do impacto nos negócios criou processos de controle rigorosos e longos ciclos de aprovação. Assim, criou-se a necessidade de um escritório de negócios em nuvem (CBO).

O CBO serve como ponto central na tomada de decisão e comunicação para o seu programa em nuvem, seja ele interno ou externo à sua empresa. Ele atua como um órgão operacional e administrativo permanente, que orienta em todos os aspectos, desde a primeira implementação até as operações em andamento na nuvem.

Os participantes do CBO dividem-se em: tempo integral e parcial. Os membros de tempo integral são líderes que têm uma responsabilidade diária pela adoção, implementação e gerenciamento bem-sucedidos da nuvem em sua organização.

Já os membros do CBO em tempo parcial, são líderes que têm interesse no sucesso do programa em nuvem e precisam de visibilidade no processo.

Uma vez que estamos combinando operações, pessoas, desenvolvimento, infraestrutura, risco e finanças, precisamos de um conjunto central de processos que inclui:

Gerenciamento de projetos;

Decisões técnicas;

  • Onboarding do proprietário da aplicação;
  • Treinamento em tecnologia;
  • Decisões de risco e segurança;
  • Gerenciamento de mudanças organizacionais e treinamento;
  • Governança financeira;
  • Serviços operacionais e governança;
  • Gestão de fornecedores.

 

4- Entenda sua economia na nuvem

Entender e conhecer sua economia para adoção da nuvem é uma ótima iniciativa. Porém, algumas experiências mostram que mais de 50% das empresas não gastam o tempo necessário para determinar os custos do negócio para migrar à nuvem.

A economia da nuvem cai em duas vertentes valiosas. A primeira é uma análise de custo total de propriedade em linha reta, juntamente com economias de custos mais pesados. O custo total de propriedade é a substituição de serviços locais com serviços em nuvem.

Por isso, é altamente recomendado a prática de acompanhamento dos seus KPI’s financeiros à medida que você cria seu programa em nuvem.

 

5- Saiba qual é o funcionamento interno da sua propriedade de aplicação

Ambientes de nuvem pública, como AWS, Microsoft Azure e Google, não são totalmente compatíveis. Isso significa que alguns de seus aplicativos não poderão migrar para a nuvem.

O desafio incomum é que as organizações conheçam o funcionamento interno das aplicações em sua propriedade. Raramente os CMDBs têm esse nível de detalhe e, na maioria das vezes, os membros da equipe que possuem essas informações não estão mais trabalhando em sua organização.

A descoberta de aplicativos não é fácil, porém existem ferramentas de automação que tornam o trabalho menos doloroso.

 

6- Construa uma MVC

A  nuvem mínima viável (MVC) é uma das mais importantes práticas na adoção.

Com base no conceito do produto mínimo viável, o MVC é o ponto inicial de sua primeira nuvem de produção e uma plataforma que você irá melhorar à medida que você migra para a nuvem.

Azure, AWS e Google permitem a programação de automação, como principal meio para construir uma nova plataforma. Portanto, agora devemos pensar em nossa nuvem como um software.

Os dois componentes principais do MVC são: HUB e Spokes.

 

7- Realizar uma avaliação de falhas de segurança e governança

A Cloud Security Alliance (CSA) é a organização líder mundial dedicada à definição e conscientização das melhores práticas para ajudar a garantir um ambiente seguro de computação em nuvem. A CSA produziu a Cloud Controls Matrix (CCM), como uma linha de base para fornecer princípios de segurança fundamentais para orientar a computação em nuvem na empresa.

Realizar uma avaliação de brechas na segurança e governança significa observar seus objetivos de controle em relação a um padrão conhecido, como a matriz da CSA, e documentar as lacunas em seus controles e tecnologias em relação às melhores práticas aceitas.

Em vez de criar sua arquitetura de segurança a partir do zero, você pode aceitar uma base existente e fazer pequenas alterações para atender às necessidades específicas do seu negócio.

 

8- Planejamento da conformidade contínua

O modelo baseado no consumo precisa de um novo nível de governança. Usar a abordagem padrão para gerenciamento de alterações e controles simplesmente não funciona. Os controles de mudança de legado trarão lentidão ao processo e você se encontrará na mesma situação em que estava.

O necessário é o planejamento da conformidade contínua. Nesse contexto, a conformidade contínua é um software que está constantemente observando seu ambiente e controlando o consumo e o uso de serviços em sua nuvem. Os controles são implementados usando “assinaturas de software” que verificam requisitos específicos de governança e conformidade.

Em grandeza, a governança contínua é uma combinação de controles de segurança, risco, conformidade e finanças que são implementados usando o software. E, como qualquer outro software, o gerenciamento dos perfis é onde você possui seus maiores benefícios na forma de resultados consistentes e com menor margem de erros.

 

9- Implemente estruturas de automação

Em todas as práticas listadas, destacamos a automação como um princípio fundamental de implementação. A infraestrutura como código, nesse caso, é o mantra de todo o processo.

Na parte principal da adoção de nuvem está a automação de construções de infraestrutura para cada aplicação. O objetivo é ter cada aplicativo implementado por meio de código.

No centro do mantra de automação temos os modelos de automação MVC. A criação de um MVC inclui a produção de modelos repetitivos que são usados para a integração de novas aplicações. Esses modelos economizam muito mais tempo e reduzem uma enorme quantidade de riscos, eliminando grande parte do erro humano.

 

10- Prepare-se para a Migração @Scale

A Migração @Scale atribui-se à tecnologia, processos e pessoas que levam cargas de trabalho de aplicativos para a nuvem se beneficiando de um modelo de fábrica.

Como as plataformas de nuvem não são 100% compatíveis, precisamos decidir se o aplicativo pode ser migrado sem alteração ou se requer alguma alteração antes de fazer a mudança.

Dependendo da complexidade, idade e arquitetura do aplicativo, o nível de esforço para a migração pode variar. Sendo assim, o ideal é realizar uma abordagem de workbench de migração de aplicativos, feito por uma equipe de engenheiros que executa um conjunto específico de tarefas na migração.

 

Fazer a adoção da nuvem requer muito mais do que seguir algumas práticas recomendadas, por isso antes de dar início ao seu programa de nuvem, tenha certeza que possui uma equipe com a experiência, as ferramentas e os processos necessários para executar o movimento com sucesso.

Não deixe de entrar em contato com nossos especialistas para que possamos ajudar você na adoção da nuvem de forma mais assertiva.

Com as suas informações, a MPE poderá pensar em soluções
perfeitas para sua empresa.

Alguns de nossos clientes