Tecnologia 5G e o impacto no mercado


A mais nova e tão comentada tecnologia 5G vem para o mercado com o potencial de se tornar a plataforma universal de conectividade de dispositivos a uma conexão de banda larga.

O mundo está em constante evolução tecnológica, seja na medicina, nas cidades, na agricultura e até nas coisas do nosso cotidiano.

Atualmente, o principal desafio para o desenvolvimento de novas tecnologias é a alta latência das redes 4G. O 5G vem para suprir esta e outras necessidade que abordaremos no decorrer do conteúdo.

O que é 5G?

5G é a 5ª geração da tecnologia móvel. É uma revolução incrível que tem fortes promessas como aumento na velocidade, maior capacidade de tráfego, espectro de rede melhorado e menor custo. Para exemplificar, a conexão 5G estima atingir a velocidade máxima de 20 Gbps, enquanto que a 4G (LTE) é de apenas 1 Gbps.

Outra promessa que merece destaque é a redução da latência. Atualmente a latência do 4G chega a 20 m/s. A expectativa é que, com a vinda desta nova tecnologia, o tempo de resposta entre um ponto de conexão e outro reduza primeiramente para 10m/s e posteriormente para menos de 1m/s.

Esta grande diferença na latência permitirá grandes mudanças em nossa forma de agir, por exemplo, para a implementação da tecnologia de carros autônomos é necessário que o tempo de latência seja abaixo de 1m/s, que é próximo ao tempo de reação de um ser-humano. Existem outras interferências da tecnologia 5G, além de melhorar nossa conexão de internet, que irão mudar o nosso cotidiano.

O 5G está previsto para ser implementado no decorrer de 2020 nos países líderes do mercado, como Estados Unidos, China e União Européia. No Brasil, o desenvolvimento do 5G sofrerá atrasos. A expectativa é que até 2025 todas as principais metrópoles do mundo tenham por padrão esta tecnologia.

Principais características da tecnologia 5G

Trata-se não apenas de uma evolução na velocidade da internet. Atualmente o foco do 4G está nos usuários da rede e com o 5G passará a estar nos dispositivos conectados, por conta da crescente demanda de dispositivos e com a crescente popularização do IoT (Internet das Coisas).

A tecnologia 5G pretende criar um ambiente simplificado para a integração de dispositivos conectados a redes, como drones, dispositivos de realidade aumentada e IoT.

Uma das principais diferenças entre as duas tecnologias é que, enquanto o 4G se concentra em garantir conectividade, o 5G pretende expandir a conectividade e oferecer experiências conectadas desde a nuvem até os clientes. Além disso, o 5G cria um ambiente virtual baseado em softwares que utilizam-se de tecnologias em nuvem.

Se tratando de mobilidade, o 5G pretende simplificar a rede, utilizando de recursos simples de roaming aberto entre celular e o acesso Wi-Fi. Usuários de dispositivos móveis poderão permanecer conectados ao se movimentarem entre conexões sem fio externas e redes sem fio dentro de prédios, sem a intervenção do usuário ou a necessidade dos usuários autenticarem-se novamente.

A expectativa é que a nova tecnologia 5G venha melhorar a conectividade em áreas rurais desfavorecidas e em cidades onde a demanda de dispositivos conectados supera a capacidade atual da tecnologia 4G.

As redes 5G também vão ter uma arquitetura unificada e de acesso distribuído, que deverão levar o processamento de dados para mais perto da borda e dos usuários, para viabilizar o processamento mais rápido. Isto no Brasil será de grande vantagem, já que ainda temos áreas que possuem 4G com o espectro da rede fraco.

O 5G New Radio, o padrão global para uma interface aérea sem fio 5G com maior capacidade, vai incluir espectros não utilizados no 4G. As novas antenas vão incorporar a tecnologia conhecida como MIMO massivo (multiple input, multiple output), que permite que vários transmissores e receptores transfiram mais dados ao mesmo tempo.

WiFi 6

O novo padrão sem fio Wi-Fi 6 (também conhecido como 802.11ax) compartilha algumas das características do 5G, sem depender exclusivamente dele, dentre elas o melhor desempenho. Os rádios Wi-Fi 6 podem ser colocados onde os usuários precisam para fornecer melhor cobertura geográfica e menor custo.

Subjacente a esses rádios Wi-Fi 6, há uma rede baseada em software com automação avançada. Novos equipamentos, como por exemplo roteadores, poderão sofrer alterações para acompanhar a evolução e tirar melhor proveito da tecnologia.

Qual o impacto do 5G em nosso dia a dia?

Em 2014, foram estabelecidos alguns critérios pelo GSMA, uma organização internacional formada por mais de 1200 operadoras de rádio, internet e telefonia móvel, para guiar o processo de implantação das redes 5G. Entre esses critérios, podemos destacar:

  • As redes 5G devem consumir até 90% menos energia que as redes 4G atuais;
  • Os tempos de conexão entre aparelhos móveis devem ser inferiores a 5 ms (milissegundos), face à latência de 30 ms das redes 4G;
  • O número de aparelhos conectados por área devem ser 50 a 100 vezes maior que o atual;
  • Devem ser realizados aumentos drásticos na duração da bateria de dispositivos rádio receptores.

Mesmo que em um primeiro momento não tenhamos as redes 5G em nossas residências aqui no Brasil, uma tecnologia que tem o potencial de se tornar a plataforma universal de conectividade de dispositivos a uma conexão de banda larga pode trazer inúmeros benefícios para áreas de extrema importância. Como:

Medicina

O 5G na medicina possibilitará que médicos, mesmo em grandes distâncias, consigam interagir com outros médicos em tempo real. Tornado assim a busca por diagnósticos mais rápida. Uma outra inovação serão o uso de robôs em cirurgias remotas que utilizam a rede para mapear os movimentos do médico-cirurgião de forma precisa.

Para executar ambas tecnologias é necessário que a rede tenha baixa latência e que a intensidade do sinal seja igualmente boa, para que não ocorram atrasos na realização de comandos com o equipamento ou falhas em uma call com um médico especialista que se encontra no outro hemisfério do planeta.

Trânsito

Outra tecnologia bastante comentada que vai usufruir da alta latência da rede 5G são os veículos autônomos. Com o tempo de latência reduzido para menos de 1 ms, se possibilitará a comunicação entre veículos, permitindo o desenvolvimento de sistemas de segurança que evitem acidentes automobilísticos.

Dispositivos Móveis

Diariamente utilizamos nossos dispositivos móveis para quase tudo. A alta velocidade da rede e qualidade do sinal melhora a transferência por meio Streaming (como videochamadas, jogos, dispositivos de realidade aumentada, vídeos em alta resolução, entre outras).

Machine learning e Inteligência artificial

O 5G também melhora as experiências digitais por meio da automação viabilizada pelo aprendizado de máquina (ML). A demanda por tempos de resposta em frações de segundo (como no caso dos veículos autônomos) requer que as redes 5G incluam automação com ML e, futuramente, aprendizado profundo e inteligência artificial (IA). O provisionamento automatizado e o gerenciamento proativo de tráfego e serviços vão reduzir o custo da infraestrutura e melhorar a experiência conectada.

Conclusão

Por mais que o 4G ainda seja de difícil acesso para muitas pessoas aqui no Brasil, o cenário é otimista. Visto que entre a implementação do 4G, que foi mais rápida comparada ao 3G, estima-se que o 5G venha ainda mais rápido.

As empresas de tecnologia já estão bastante empenhadas no desenvolvimento do 5G e do WiFi 6. Ainda haverá muito o que se falar desta nova tecnologia e dos avanços nas redes móveis, a implementação do 5G será o início de uma nova era.

Quer encontrar a solução perfeita para a sua empresa? A MPE tem soluções completas, baseadas na tecnologia HPE e Aruba para sua empresa. Entre em contato conosco.

Com as suas informações, a MPE poderá pensar em soluções
perfeitas para sua empresa.

Alguns de nossos clientes